Sessions

4143 Governance in the Periphery

Room: C4.06

 

Chair: Wanda Capeller | SciencesPo Toulouse

Ana Carolina Carvalho Farias | ISCTE-Insituto Universitário de Lisboa

Quem está em cena? Redes de colaboração no programa BIP/ZIP, em Lisboa.

 

Abstract

 

A inserção dos usuários nos processos de design, planeamento e gestão do espaço construído é uma importante resposta à imaginação social de uma democracia participativa que exige maior distribuição do poder de decisão sobre políticas territoriais. Portugal teve importantes experiências em processos participativos nas últimas décadas, como o SAAL – Serviço de Apoio Ambulatorial Local na década de 1970, o Orçamento Participativo a partir dos anos 2000 e, mais recentemente, o programa BIP/ZIP - Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária, criado em 2011, em Lisboa. Desenvolvido pela vereação da Habitação e Desenvolvimento Local da Câmara Municipal de Lisboa (CML), o programa objetiva reabilitar e revitalizar áreas daquela cidade através de ações de base comunitária que fomentem a melhoria da qualidade de vida e a coesão territorial. Na capital portuguesa, os projetos BIP/ZIP tem dinamizado uma extensa rede de iniciativas locais formada por associações culturais, instituições de ensino, empreendedores sociais, juntas de freguesias e outras entidades que articulam transformações em seus territórios de ação. Arranjos que fazem colaborar organizações associativas tradicionais com novos atores da cidade contemporânea, emergentes da economia criativa, de novos movimentos de resistência urbana e de uma cultura aberta para a colaboração.  Após seis anos de implementação, reconhece-se a necessidade premente de mapear, avaliar e monitorizar as conexões entre cidadãos e administração municipal de modo a garantir maior sustentabilidade às ações tanto a nível territorial quanto a nível administrativo. Assim, este artigo vai demonstrar um mapeamento dos atores envolvidos nos projetos BIP/ZIP, a partir das informações disponibilizadas pela CML, relacionando-os com os territórios de ação e as temáticas de projetos desenvolvidos ao longo dos vários anos de realização do programa. O mapeamento proposto permite conhecer, no contexto do BIP/ZIP em Lisboa, as redes de colaboração criadas para atuar sobre os territórios, quem são esses atores e como eles se articulam para viabilizar projetos de base comunitária. Tal reflexão é parte da pesquisa de doutoramento da autora, que propõe o desenho de um ‘Observatório BIP/ZIP’, plataforma apoiada em técnicas digitais para a ampliação da capacidade de co-criação e co-governança, fortalecendo a interação e colaboração entre as visões top-down e bottom-up que formam o sistema BIP/ZIP.

Redy Wilson Lima | CICS.NOVA.FCSH

Jovens, políticas públicas e organizações de rua: uma releitura teórica-empírica dos grupos de jovens armados em Cabo Verde

 

Abstract

 

Nos anos de 2000, com o surgimento de um novo tipo de conflitualidade urbana em Cabo Verde, os thugs, identificados como jovens “periféricos” associados a comportamentos delinquentes, foram considerados como os principais responsáveis pelos altos índices de criminalidade no país, mais especificamente na cidade da Praia. Com esta comunicação, baseado em pesquisas etnográficas junto de grupos de jovens armados e ativistas comunitários, discuto, por um lado, as condições sociopolíticas por detrás do surgimento deste tipo de grupos e, por outro, a adaptação da teoria dos movimentos sociais no estudo dos gangues, de modo a dar conta das possibilidades políticas alternativas criadas por este tipo de agrupamento social.

 

 

Rebeca Vicente Reis de Andrade | Universidade Federal da Bahia

Homero Chiaraba Gouveia | Universidade Federal da Bahia

Pensando a participação sob aspectos do fundo público brasileiro para uma cidadania identitária

 

Abstract

 

Valeria Verdolini | University of Milan/University of Milan-Bicocca

Lessons from the margins: perception of the institutions in two peripheries of Milan

 

Abstract

 

The paper will be a reflection of the role of public institution in insecurity and urban conflicts in two peripheries/neighborhoods of the city of Milan. Starting from a Horizon 2020 project "Margin: tackle insecurity in marginalized areas" the paper will reflect in governamental issues and institutions' perception in two conflictual peripheries of the city of Milan (Rogoredo and Gratosoglio). After six months of ethnography the work will focus on local bylaws, space control and community conflicts. The work will connect critical criminological theories, legal geography and a socio-legal approach trying to reflect on the construction of the sense of State in marginalized contests. 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

CONTACT

DINÂMIA'CET-IUL

Centre for Socioeconomic and Territorial Studies

Avenida das Forças Armadas | Edifício ISCTE | Sala 2W4-d
1649-026 Lisbon

Info Requests: rcslinternationalmeeting2018@gmail.com

Design & Webmaster: bruno.vasconcelos@iscte-iul.pt

  • Facebook - Grey Circle
  • Twitter - Grey Circle
  • YouTube - Grey Circle

SPONSORS

MUHNAC_Vertical_positivo.png

ACADEMIC SPONSORSHIP

MEETING ORGANIZED BY

IN PARTNERSHIP WITH

WITH THE SUPPORT OF